O professor britânico Stephen Hawking, considerado o maior físico do nosso tempo, morreu aos 76 anos, pacificamente na quarta-feira, 14 de março, informou sua família à mídia.

Quando tinha 21 anos, Hawking foi diagnosticado com uma doença rara e degenerativa chamada Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), que comprometeu seus movimentos e paralisou quase todo o seu corpo. Desafiando todas as expectativas dadas pelos médicos ele viveu uma vida extraordinária e produtiva.

Embora ele nunca ter ganhado o Prêmio Nobel, Hawking foi reconhecido com a maioria dos outros prêmios em física. Seu impacto foi ainda maior na imaginação pública, simplificando a física para as grandes massas e encantando futuros cientistas. 

Seu trabalho mais conhecido incluiu sua colaboração com Roger Penrose sobre singularidades gravitacionais, a previsão de que os buracos negros emitem radiação de corpo negro e o livro mais vendido, A Breve História do Tempo. O livro teve como objetivo introduzir importantes conceitos cosmológicos para um público não especializado e vendeu mais de 10 milhões de cópias em 20 anos.

O sintetizador de voz com o qual ele costumava “falar” em seus últimos anos tornou-se icônico, caracterizado em animações/séries como The Simpsons e The Big Bang Theory, Star Trek The New Generation, tornando-se para muitos um símbolo da adversidade de superação e da capacidade da humanidade de entender o universo apesar dos diversos obstáculos que nós precisamos superar.

Hawking também será lembrado por sua notável inteligência e humor, sua compaixão pela humanidade e advertências sobre as ameaças que criamos para nós mesmos com o aquecimento global e inteligência artificial, que pode se transformar em nosso “Cavalo de Tróia”. Sua vida foi retratada no filme de 2014, A Teoria de Tudo, baseado em um livro de sua primeira esposa, Jane Hawking. O casal tem três filhos Robert, Lucy e Timothy – e três netos.

Lembrando Stephen Hawking, um renomado físico e embaixador da ciência. Suas teorias desbloquearam um universo de possibilidades que nós e o mundo estamos explorando. Que você continue voando como superman em microgravidade, como você disse aos astronautas no @Space_Station em 2014“.